A indústria naval brasileira crescia para estar entre as maiores do mundo. O que aconteceu?

indústria naval brasileira

Não se pode esquecer do mal que os últimos governos causaram à indústria naval brasileira.

Temer e Bolsonaro permitiram que um mercado de 84 mil empregos diretos no país fosse esfacelado.

Hoje, nossos estaleiros estão praticamente sucateados, enquanto obras que geravam emprego e renda no Brasil são executadas na Ásia.

Estima-se que 60 mil postos de trabalho foram extintos na indústria naval desde 2016.

Hoje a indústria naval é deficitária. Além disso, dos 40 estaleiros brasileiros, 12 estão parados e os outros estão precarizados, trabalhando abaixo da capacidade, sem clientes e encomendas.

Se tem um setor que sente saudade do período da descoberta do Pré-sal, é o da indústria naval.

O governo Lula chegou a financiar 90% dos projetos no setor com o Fundo de Marinha Mercante (FMM):

:: Esse fundo desembolsou R$ 45 bi desde 2007;

:: O FMM, por meio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e demais bancos públicos e privados, financiaram o setor até 2014;

:: Neste período a indústria naval chegou a empregar 82 mil pessoas.

 

Em detalhes: indústria naval hoje

O fato é que a indústria naval desmoronou.

Hoje a política da Petrobrás e da Agência Nacional do Petróleo (ANP) tem o objetivo de reduzir as construções de plataformas ou grande embarcações no Brasil.

Além disso…

:: A japonesa Kawasaki, com 82% das obras do seu estaleiro concluídas, está parada e em recuperação extrajudicial;

:: Estaleiros que ainda operam, atendem apenas à construção de embarcações fluviais (barcaças, ou de transporte de passageiros);

:: A indústria voltada para a construção de plataformas e navios offshore (alto mar) está praticamente abandonada;

:: Outro exemplo: em 2013, o estaleiro do município de Rio Grande (RS) empregava 24 mil pessoas, hoje, não chega a 5 mil o número de trabalhadores;

Foi-se o tempo em que o Brasil crescia para se tornar um grande líder na indústria naval mundial!

:: Punem um setor estratégico ao destruir o Sistema da Petrobras, paralisar obras e transferir renda e empregos para a Ásia.

A indústria naval já movimentou cadeias econômicas nacionais e locais. Manteve a saúde financeira de muitos municípios brasileiros!

Mas ela só voltará a ser forte se houver uma visão da Petrobras como ferramenta essencial para o desenvolvimento econômico e social do Brasil (coisa que está bem longe de acontecer no atual governo).

Só assim para ela voltar a promover o desenvolvimento da engenharia nacional, inovar e renovar a tecnologia brasileira, além de gerar empregos e qualificar profissionais do setor.

Veja também Petrobras: será ela a última desbravadora de novas fronteiras?

 

Compartilhe a nossa campanha no Facebook

Siga-nos no Instagram

 

Passado, Presente e Futuro: A Petrobras é tudo isso e muito mais

É verdade que a Petrobras é cabide de emprego?
É verdade que a Petrobras é cabide de emprego?
Se você dedicasse horas e horas de estudo para passar em um dos concursos mais difíceis do Brasil, na maior empresa pública do país, aceitaria a falácia de que a...
O Brasil precisa da Petrobras. Os brasileiros precisam das estatais
O Brasil precisa da Petrobras. Os brasileiros precisam das estatais
A desigualdade social é uma herança histórica do Brasil. Em países subdesenvolvidos como o nosso, o capitalismo de consumo atua com mais intensidade e dificulta, inclusive, a execução de programas...
Para o Brasil, o petróleo é essencial. Para a educação pública, ele é ainda mais
Para o Brasil, o petróleo é essencial. Para a educação pública, ele é ainda mais
Investir em educação é criar um futuro melhor para a população. É assim em qualquer país do mundo, e deve ser assim no Brasil também. E depois que a Petrobras...