Por que o Brasil ainda importa derivados de petróleo?

brasil importa derivados

Apesar de possuir uma das maiores reservas de petróleo do mundo – o Pré-sal – o Brasil ainda importa derivados de petróleo.

Uma das principais razões é a não valorização das nossas refinarias. De acordo com especialistas da Agência Nacional de Petróleo (ANP), elas são subutilizadas.

Em 2018, por exemplo, a capacidade ociosa foi de 25%.

 

Panorama (2018), segundo ANP:

:: O Brasil exportou 410 milhões de barris de petróleo, a maior parte para a China;

:: E importou cerca de 68 milhões de barris, maior parte de países da África e do Oriente Médio;

:: Os EUA também importaram para o Brasil derivados de petróleo, como gasolina e diesel;

:: O Brasil, na teoria, extrai o suficiente para atender à demanda nacional;

:: O Brasil exporta óleo cru e importa combustíveis e derivados. Por isso o preço dos combustíveis é atrelado ao mercado internacional;

:: O Brasil precisa, para conseguir refinar o petróleo brasileiro, que as refinarias recorram a uma mistura do petróleo brasileiro com petróleo mais leve, como o nigeriano ou árabe;

:: A Petrobras está focada hoje em exploração e produção de petróleo, e não investe na área de refino no Brasil;

:: As refinarias estão obsoletas, suas tecnologias não foram melhoradas. Não conseguem refinar todo o petróleo que a gente produz.

 

Importação de derivados

O Brasil importa derivados, como diesel e gasolina, pois não refina o suficiente. O problema é que nem sempre essa política é viável. No atual momento, por exemplo, com o dólar em alta, os preços se tornam elevados e a importação prejudica o consumidor.

Estrategicamente o Governo Federal erra em priorizar o aumento da produção das refinarias, o que reduziria as importações.

Como consequência, o Brasil pode se tornar um país independente na extração de petróleo, mas totalmente dependente da importação de derivados, mesmo tendo refinarias.

 

R$ 25 bilhões em importação de gasolina e diesel dos EUA

O Brasil é um mercado observado pelo mundo. Para se ter uma ideia, segundo dados do IBGE, a indústria de diesel é a mais importante do país.

Entre 2016 e 2017 as vendas do derivado gerou quase R$ 140 bilhões. A venda do petróleo bruto ficou em segundo lugar, gerando R$ 103 bilhões em dois anos.

Ou seja, é um mercado atrativo para o grande capital.

Para se ter uma ideia, no segundo trimestre de 2019, a receita de vendas total da Petrobras foi de R$ 72,56 bilhões; desse total, 65% (ou R$ 47,65 bilhões) vieram da venda de derivados. A venda de diesel representou 32% de todo o faturamento da Petrobras.

Vale lembrar que o ativo mais valioso da Petrobras, as refinarias, estão à venda (das 13, nove estão em fase vinculante). Mesmo o diesel sendo o principal gasto com importação.

 

*Você sabe quais são os produtos mais importados pelo Brasil?

:: Óleo diesel;

:: Petróleo bruto;

:: Plataformas de petróleo;

:: Nafta.

*Todos esses produtos estão ligados à cadeia produtiva do setor de petróleo.

 

Outro rumo estratégico da Petrobras, além da redução do refino, é concentrar sua importação de diesel em um único fornecedor: os EUA.

:: 82% do diesel importado pelo Brasil veio dos EUA.

:: Os EUA exportaram US$ 5,16 bilhões em diesel para o Brasil, um recorde histórico.

:: Nos últimos 36 meses o Brasil gastou com importação de óleo diesel e gasolina dos Estados Unidos US$ 16,2 bilhões.

 

Portanto, respondendo à pergunta inicial sobre as razões do Brasil importar tanto derivado de petróleo, a resposta é simples: porque é bom para o mercado estrangeiro (e não para os brasileiros).

veja também Culpar o regime de partilha pelo fracasso nos leilões do Pré-sal? Outra fake news do Governo Federal

Compartilhe nossa campanha no Facebook

Siga-nos no Instagram

Passado, Presente e Futuro: A Petrobras é tudo isso e muito mais

Por que abrir mão do refino é um erro estratégico?
Por que abrir mão do refino é um erro estratégico?
Desde que assumiu no começo de 2019, o Governo Bolsonaro privilegiou a extração e venda de petróleo cru, comprando combustível refinado de outros países. Enquanto isso, não investiu na capacidade...
Privatizar não acaba com corrupção (isso sim é mito)
Privatizar não acaba com corrupção (isso sim é mito)
Diversos mecanismos de prevenção e combate à corrupção foram adotados, como a Controladoria Geral da União (CGU), em 2003, e o Portal da Transparência, em 2004. Assim como a Lei...
O uso do petróleo vai acabar em breve?
O uso do petróleo vai acabar em breve?
Ao perceberem o leve aumento de veículos híbridos (que funcionam com motores à combustão e com eletricidade) circulando pelas grandes cidades brasileiras, ou de carros elétricos (que estão mais presentes...