Você sabia que a Petrobras tem “cidades submarinas”?

Você sabia que a Petrobras tem cidades submarinas?O trabalho da Petrobras envolve tecnologias tão avançadas que a estatal opera estruturas que se parecem com “cidades submarinas”.

Pois é: a mais de dois mil metros abaixo da superfície, a estatal tem estruturas de grande porte que integram o sistema de exploração em águas profundas, juntamente com as plataformas de petróleo. O cenário submarino é composto por múltiplos equipamentos interdependentes e adequados à execução de tarefas complexas. Os equipamentos são tão grandes e sofisticados que toda a estrutura junta parece uma cidade submersa.

Confira:

 

Árvore de natal molhada

O nome curioso surgiu nos Estados Unidos, dado por funcionários do setor que associaram o equipamento coberto de neve a um pinheiro de Natal. O adjetivo molhada veio depois, quando passou a ser usado no fundo do mar!

Trata-se das válvulas por onde se faz o monitoramento do fluxo de fluidos produzidos ou injetados.

 

Conjuntos de mangueiras e cabos elétricos

Realizam diferentes funções, por exemplo: operações remotas, injeção de produtos químicos, fiscalização operacional etc.

 

Equipamentos de interligação dos tipos PLET e PLEM

Os Pipeline End Termination (PLETs) são equipamentos que permitem a conexão submarina entre dutos flexíveis e dutos rígidos, ou entre um duto e um equipamento suboceânico.

E os Pipeline End Manifold (PLEMs) são inseridos na ponta de um trecho de duto para ligá-lo a outros trechos.

 

Linhas flexíveis 

São dutos que ligam as unidades de produção, reúnem e drenam fluidos para elas, introduzem ou descartam o conteúdo em depósitos, e fazem deslocamentos para o continente.

 

Manifold 

É um conjunto de acessórios e válvulas que realizam diversas funções, como por exemplo: auxiliam na redução do número dutos ligados à plataforma, conduzem a produção de vários poços para um duto receptor, e diminuem a extensão total dos dutos de poços utilizados em um sistema de produção.

 

Risers 

São os trechos suspensos das tubulações que conectam as plataformas às linhas de produção submarinas (dutos).

 

De olho no futuro

Nas próximas décadas, a Petrobras pretende transferir os equipamentos das plataformas para o fundo do oceano, para que possa tornar as operações remotas cada vez mais eficazes e seguras, e que possam realizar operações à distância mais frequentes!

Em terra firme ou em alto mar, a estatal do petróleo brasileiro atua em constante busca por soluções tecnológicas inovadoras, seja para o dia a dia dos seres humanos, seja para os robôs que operam em condições inóspitas para a companhia.

 

Compartilhe a nossa campanha no Facebook

Siga-nos no Instagram

Passado, Presente e Futuro: A Petrobras é tudo isso e muito mais

A Petrobras é produtiva? É sim, senhor!
A Petrobras é produtiva? É sim, senhor!
Imagine você que na década de setenta, a Petrobras produzia 41 mil barris de petróleo por dia. Nesse período, durante a ditadura militar, ainda se descobria, no Brasil, as possibilidades...
Culpar o regime de partilha pelo fracasso nos leilões do Pré-sal? Outra fake news do Governo Federal  
Culpar o regime de partilha pelo fracasso nos leilões do Pré-sal? Outra fake news do Governo Federal  
Sabe aquela máxima: “a culpa é minha e eu coloco em quem eu quiser”? Parece que o Governo Federal adotou essa “política” para tirar a própria responsabilidade em relação aos...
A Petrobras é nossa, mas por que o preço do combustível no Brasil está tão alto?
A Petrobras é nossa, mas por que o preço do combustível no Brasil está tão alto?
O brasileiro diariamente sofre consequências da política adotada pelos governos Temer e Bolsonaro, que optaram por atrelar o preço dos derivados do petróleo às variações do mercado internacional, que opera...